segunda-feira, maio 20, 2024

Debate na ONU: descarbonização do transporte rodoviário de forma mais realista

Em uma iniciativa pioneira que coloca o meio ambiente e o desenvolvimento sustentável na vanguarda das discussões globais, a União Internacional de Transportes Rodoviários (IRU) assumiu um papel de liderança durante o 86.º Comitê de Transportes Terrestres das Nações Unidas (ONU), realizado, no final de fevereiro, em Genebra. O Brasil é membro da IRU por meio da NTC&Logística (Associação Nacional do Transporte de Cargas e Logística).

O evento marcou um dia significativo para o avanço da agenda de descarbonização do transporte rodoviário, reunindo líderes e especialistas de todo o mundo para debater estratégias e soluções para um futuro mais verde.

Sob a moderação de Umberto de Pretto, Secretário-Geral da IRU, um painel ministerial de alto nível discutiu como acelerar o processo de descarbonização, focando em medidas de eficiência energética e requisitos de infraestrutura necessários para a transição para um sistema de transporte rodoviário neutro em carbono até 2050.

Leia também:

Com frota Scania a gás e elétricos, PepsiCo é reconhecida como exemplo em transição energética pelo Prêmio Log Assaí

De Pretto destacou a importância de passar da ambição à ação, afirmando: “A indústria do transporte rodoviário está comprometida em se tornar neutra em carbono até 2050. O Pacto Verde da IRU oferece um caminho pragmático e realista de descarbonização para garantir que a nossa indústria continue a atender à crescente demanda de transporte. Mas precisamos de coordenação global e parcerias público-privadas genuínas para conseguir isso.”

Além disso, enfatizou a necessidade de ações imediatas e a longo prazo. “Não podemos esperar por 2050 e depois apertar o ‘botão mágico’. Precisamos de uma combinação de políticas diferentes agora. Por certo, onde os governos forneçam condições favoráveis ​​que permitam aos operadores de transportes obterem ganhos imediatos de eficiência e, ao mesmo tempo, investir em tecnologias de combustíveis alternativos a longo prazo.”

Os participantes do painel concordaram unanimemente que a descarbonização do transporte rodoviário exige uma abordagem holística, incorporando desenvolvimento econômico, equidade social e proteção ambiental.

Além disso, a IRU organizou reuniões com os Secretários-Gerais da Organização de Cooperação Econômica. Ademais, com a Cooperação Econômica do Mar Negro e do Fórum Internacional dos Transportes. Dessa forma, reforçando a importância de colaborações de alto nível para enfrentar os desafios da descarbonização.

O Comitê dos Transportes Terrestres emerge como uma plataforma essencial da ONU para o transporte terrestre dedicada a atender às necessidades globais. E, sobretudo, regionais de maneira eficiente, garantindo um futuro mais sustentável para o setor de transporte rodoviário.

Nos siga no LinkedIn!

Marcos Villela Hochreiter
Marcos Villela Hochreiterhttps://www.frotanews.com.br
Sou jornalista no setor da mobilidade desde 1988, com atuações em jornais, nas áreas de comunicação da Fiat e da TV Globo, como editor da revista Transporte Mundial entre 2002 e maio de 2023, e com experiência em cobertura na área de transporte no Brasil e em cerca de 30 países. Representante do Brasil como membro associado do ITOY (International Truck of the Year), para troca de experiências e conteúdos jornalísticos. Mais, recente começou como colaborador do corpo docente na Fabet (entidade educacional sem fins lucrativos).
- Publicidade -
Últimas notícias
você pode gostar:

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui