segunda-feira, junho 24, 2024

Renault lança Kangoo 1.6 Flex em busca da metade dos clientes do Fiat Fiorino

O mercado de furgões compactos em 2023 representou um negócio de 21.863 unidades. E, praticamente, sem concorrentes, o Fiat Fiorino tem o monopólio deste segmento, com 91,7% de participação (21.713 furgões); seguido do irmão gêmeo idêntico Peugeot Partner (1.713 unidades); do Renault Kangoo E-Tech, lançado em outubro do ano passado (148 furgões elétricos) e do BYD T3 (48 furgões elétricos). Com um lote mensal de 500 unidades, a Renault volta ao segmento com o novo Renault Kangoo 1.6 Flex. Conheça esta novidade que chega mais cara (R$ 120.800,) porém, com qualidades que justificam os R$ 1.810 mais em relação ao Fiorino. Confira!

Produzido na fábrica de Santa Isabel, em Córdoba, na Argentina, desde 1998, o novo Kangoo já lidera o mercado de furgões compactos em seu país de origem há 24 anos, com mais de 470 mil unidades fabricadas. No Brasil, há dúvidas se conseguirá tirar a supremacia do Fiat Fiorino, líder do segmento desde o berço, em 1978, portanto há 46.

Leia também:

TRICICLO PIAGGIO APÉ CARGO É NOVA SOLUÇÃO PARA ENTREGAS URBANAS

Características principais

O Kangoo 1.6 SCe Flex chega ao mercado na versão Advanced, disponível nas cores branco Glacier e prata Etóile. Ricardo Gondo, presidente da Renault do Brasil, destaca assim, a importância do novo modelo:

“Com a chegada do Kangoo 1.6 SCe Flex, ampliamos nossa presença no segmento de furgões, ampliando o nosso portfólio de soluções em veículos comerciais leves ao lado do Renault Master, líder do segmento há mais de 10 anos”.

O furgão oferece capacidade de carga 100 kg a mais de capacidade em peso (750 kg vs. 650 kg) em relação ao Fiat Fiorino. A capacidade em volume é a mesma em ambos; 3,3 m3. Aliás, a maior vantagem do Kangoo está na porta lateral deslizante, que facilita o acesso às cargas no fundo do compartimento e permite operações de carga e descarga com segurança diretamente da calçada.

Saiba mais:

Fabet-SP lança curso presencial para condutores de furgões em logística urbana

Outra vantagem está no consagrado motor 1.6 SCe Flex, que entrega 115 cv de potência e 15,7 kgfm de torque, fabricado pela Horse Power Limited, uma joint venture entre a Renault e chinesa Geely. A caixa de marchas é manual de cinco velocidades. É o mesmo motor da Oroch e outros modelos da marca. A saber, o Fiorino tem um motor 1.4 de apenas 86 cv, se abastecido com etanol. A suspensão dianteira é MacPherson e a traseira com eixo de torção.

Além do motor mais potente e da porta lateral, os equipamentos da versão Advanced entrega muito mais do que o concorrente. Ela vem de fábrica com ar-condicionado e um sistema multimídia com tela sensível ao toque de 7”, compatível com Apple CarPlay e Android Auto. Com 10 compartimentos para pequenos objetos, totalizando 33 litros de capacidade adicional, e um entre-eixos de 2.812 mm, o modelo oferece um espaço interno maior em relação ao líder do segmento.

A disputa entre Renault Kangoo e Fiat Fiorino promete ser acirrada! Segundo Aldo Costa, diretor de marketing da Renault do Brasil, o volume de Kangoo importado da Argentina já conta com uma programação contínua de lotes quinzenas de 250 unidades, totalizando 500 unidades por mês. No entanto, a fábrica argentina está preparando para aumentar este volume se precisar. Agora vamos aguardar os próximos capítulos deste duelo entre Renault Kangoo vs Fiat Fiorino. Mas no final das contas, é o comprador que parece estar sentado no trono, decidindo o destino desses dois gladiadores do segmento de furgões compactos. Que o melhor furgão vença!

Nos siga no LinkedIn

Marcos Villela Hochreiter
Marcos Villela Hochreiterhttps://www.frotanews.com.br
Sou jornalista no setor da mobilidade desde 1988, com atuações em jornais, nas áreas de comunicação da Fiat e da TV Globo, como editor da revista Transporte Mundial entre 2002 e maio de 2023, e com experiência em cobertura na área de transporte no Brasil e em cerca de 30 países. Representante do Brasil como membro associado do ITOY (International Truck of the Year), para troca de experiências e conteúdos jornalísticos. Mais, recente começou como colaborador do corpo docente na Fabet (entidade educacional sem fins lucrativos).
- Publicidade -

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

Últimas notícias
você pode gostar:

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui