sábado, maio 25, 2024

“Precisamos entender a filosofia dos chineses”, diz Ricardo Bastos, presidente da ABVE e diretor da GWM Brasil

Em meio aos desafios globais de descarbonização e à busca por soluções sustentáveis no setor de transporte, o presidente da Associação Brasileira de Veículos Elétricos (ABVE) e diretor de relações governamentais da GWM, Ricardo Bastos, destaca a importância da compreensão da filosofia chinesa e a visão para o futuro na construção de um transporte mais sustentável no Brasil.

A entrevista, conduzida pelo jornalista Fred Carvalho, sobretudo, faz parte de uma série realizada como preparação para a quinta edição do Fórum Transporte Sustentável, promovido pela OTM Editora.

Leia também:

3ª Expedição do SETLOG-MS: RILA 2023 conectando MS aos portos chilenos

Bastos abordou a necessidade de parcerias internacionais para impulsionar a adoção de veículos elétricos no país. “Queremos construir parcerias, pois nenhum país sozinho consegue fazer. A China, obviamente, conseguiu dar um salto gigantesco por conta de pesados investimentos e uma política orientada para o eletrificado”, destacou.

O presidente da ABVE ressaltou que o Brasil pode seguir um caminho semelhante ao da China, a fim de destacar a importância de investimentos sólidos e parcerias estratégicas. “Acredito que os investimentos são sólidos. Novas empresas estão vindo para produzir. Algumas para montar fábrica aqui. Já outras querem ter um parceiro no Brasil”, afirmou Bastos.

Saiba mais:

AMAGGI anuncia compra de 350 caminhões Scania, sendo 100 movidos a Biodiesel 100%

Ele também enfatizou a parceria estratégica entre o Brasil e a China, mencionando sua interação com o embaixador chinês. “Nosso país tem uma parceria estratégica com o governo chinês, e isso é reconhecido por eles. O segredo é fazer um projeto que atenda realmente aos interesses locais para que você faça parte da sociedade”, explicou.

Bastos ressaltou que, além da produção e do aspecto econômico, é, por certo, estabelecer relacionamentos sólidos com as entidades locais. “Não é só a produção e o lado econômico. A parte econômica faz a diferença quando você decide produzir no país, mas é importante se relacionar com quem está no Brasil, com as entidades de classe. Nosso relacionamento é construído com várias entidades”, destacou.

Leia mais:

Goodyear no Open Jazz com Diana Krall, Ajuste de Rota e outras dicas

A entrevista completa, por fim, pode ser conferida no site da OTM Editora. O 5º Fórum Transporte Sustentável, marcado para 29 de novembro no Transamérica Expo Center, em São Paulo, por fim, reunirá especialistas e profissionais da indústria automotiva para discutir os desafios e oportunidades da descarbonização no Brasil.

formação de mulheres
Última turma de 2023
- Publicidade -
Últimas notícias
você pode gostar:

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui