quarta-feira, julho 24, 2024
- Publicidade -

Novo VW Delivery 13.180: entenda as diferenças de entre-eixos

- Publicidade -

A família Delivery é um destaque no segmento de distribuição urbana, com seis modelos com motor a diesel e dois com motores elétricos, além de contar com diferentes variantes em configurações técnicas. Agora, os clientes da Volkswagen Caminhões e Ônibus conta com mais uma variante de fábrica: o Novo VW Delivery 13.180 6×2 com novo entre-eixos de 4.400 mm de fábrica.

Anteriormente, apenas a distância entre-eixos de 2.955 era vendido, e os depois apenas sob encomenda. Agora, os entre-eixos 2.955 e 4.400 mm podem ser encontrados nas concessionárias, e apenas a medida de 3.950 mm continua sob encomenda.

Leia também:

Fabet-SP abre inscrições para 2ª edição do curso Gestão em Segurança de Transporte de 2024

Como escolher o entre-eixos

As diferentes distâncias entre eixos em um caminhão têm implicações importantes para a distribuição de peso, capacidade de carga e segurança. Exploraremos as razões por trás dessas variações:

Estabilidade e carga útil:

— O entre-eixos mais curto (2.955 mm) geralmente proporciona maior estabilidade e manobrabilidade. É ideal para cargas mais pesadas e distribuídas uniformemente.

— O entre-eixos médio (3.950 mm) equilibra estabilidade e espaço interno. Pode acomodar cargas variadas e oferece uma boa combinação de capacidade de carga e dirigibilidade.

— O entre-eixos mais longo (4.400 mm) maximiza o espaço interno. É adequado para cargas volumosas, como móveis ou materiais de construção.

Comprimento da carroceria:

— Um entre-eixos maior permite carrocerias mais longas, servindo para transportar itens extensos, como tubos ou vigas.

— Um entre-eixos mais curto é preferível para cargas mais compactas, como paletes ou caixas pesadas.

Leia a edição 41 da Revista Frota News:

Especial um ano do Frota News
Edição Comemorativa de 1 ano

Família Delivery

Este modelo aumenta ainda mais a versatilidade da família, que já é a mais completa do segmento com seis modelos a diesel: Express, 6.170, 9.180, 11.180, 11.180 4×4 (com aplicação mista — urbano e fora de estrada) e o 13.180 6×2; e dois a diesel: e-Delivery 11 e e-Delivery 14.

O conceito de caminhão leve reforçado para transportar cargas mais pesadas foi criado pela Ford Caminhões na linha Carga, o 1119. E fez muito sucesso. O trabalho da engenharia foi pegar um projeto de caminhão leve que apresentava agilidade e manobrabilidade em trânsito urbano, reforçar o chassi, suspensão e trem de força. Pronto, assim nasceu o caminhão com dirigibilidade de leve e capacidade de carga de médio.

Na época, a Volkswagen Caminhões estava desenvolvendo a linha Delivery e, sendo o modelo mais avançado, era o modelo mais avançado. Dessa forma, a engenharia da VWCO pode ir muito além, criando o Delivery 11.180, atual campeão de vendas do segmento e da fabricante de Resende. E, o Delivery 13.180 6×2 é o médio mais vendido na faixa de PBT de 13 toneladas.

Mercado

“A produção da nova versão já começou e visa atender as aplicações de maiores demandas, como baú, carga geral, carga seca, entre outras. É uma necessidade de mercado que tem crescido”, comenta Ricardo Alouche, vice-presidente de Vendas, Marketing e Pós-Vendas da Volkswagen Caminhões e Ônibus.

O caminhão está equipado com motor Cummins ISF 3.8, de 175 cv de potência e 600 Nm de torque, garantindo alto desempenho e baixo consumo de combustível. O veículo também é reconhecido por combinar robustez de caminhão com conforto de automóvel — possui uma cabine ampla e espaçosa, coluna de direção ajustável e regulagem de altura dos bancos. O pacote Prime de série inclui banco do motorista com suspensão pneumática, revestimentos dos bancos com acabamento premium, rádio com Bluetooth, trio elétrico, ar-condicionado, para-choque na cor do veículo e conexão com a RIO Box.

Nos siga no LinkedIn!

- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
Marcos Villela Hochreiter
Marcos Villela Hochreiterhttps://www.frotanews.com.br
Sou jornalista no setor da mobilidade desde 1988, com atuações em jornais, nas áreas de comunicação da Fiat e da TV Globo, como editor da revista Transporte Mundial entre 2002 e maio de 2023, e com experiência em cobertura na área de transporte no Brasil e em cerca de 30 países. Representante do Brasil como membro associado do ITOY (International Truck of the Year), para troca de experiências e conteúdos jornalísticos. Mais, recente começou como colaborador do corpo docente na Fabet (entidade educacional sem fins lucrativos).
- Publicidade -

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

Últimas notícias
você pode gostar:

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui