quarta-feira, maio 22, 2024

Grupo Volvo aposta no hidrogênio para alcançar emissões líquidas zero

O Grupo Volvo anunciou que utilizará uma gama das mais recentes tecnologias de propulsão na sua ambição de alcançar produtos, soluções e serviços com emissões líquidas zero de gases com efeito de estufa até 2040. A empresa já está oferecendo soluções elétricas a bateria e vai investir fortemente no campo do hidrogênio — tanto para aplicações em células de combustível como combustível renovável para motores de combustão.

O Grupo Volvo é uma das empresas automotivas que defende a pesquisa e o desenvolvimento contínuo do motor de combustão interna para alcançar emissões líquidas zero em caminhões, ônibus, construção, soluções marítimas e industriais. Outras duas empresas são Cummins e FPT, que já possuem motores de combustão a hidrogênio em testes.

Leia também:

Viação Gato Preto testa tecnologia que usa hidrogênio para reduzir consumo e emissões

A tecnologia dos motores de combustão tem sido continuamente desenvolvida e refinada ao longo da história do Grupo Volvo e ainda é relevante no cenário atual e futuro, juntamente com novas tecnologias.

“Acreditamos que o futuro exigirá aplicações de propulsão variadas para atender às necessidades e demandas ambientais de nossos clientes. É por isso que estamos adotando uma abordagem tripartida para a propulsão. Vejo o motor de combustão interna que funciona com hidrogênio verde como outra solução de grande interesse que testamos atualmente nos nossos laboratórios de motores e veículos de teste”, afirma Lars Stenqvist, diretor de Tecnologia do Grupo Volvo.

O hidrogênio é considerado um dos combustíveis mais promissores para o transporte sustentável, ao poder ser produzido a partir de fontes renováveis, armazenado e transportado facilmente e usados para gerar energia sem emissões de carbono. O Grupo Volvo explora diferentes formas de utilizar o hidrogênio nos seus veículos, tanto em células de combustível que convertem o hidrogênio e o oxigênio em eletricidade, como em motores de combustão que queimam o hidrogênio como um combustível alternativo ao diesel.

Saiba mais:

Veículos elétricos: Carlos Drummond já avisava sobre as pedras no caminho

O Grupo Volvo está estabelecendo a bolsa VICE (Motor de Combustão Interna Volvo) para garantir a competência contínua da tecnologia de motores de combustão interna devido ao financiamento público reduzido para pesquisa acadêmica neste campo de tecnologia e, portanto, ao interesse reduzido entre os estudantes. A bolsa é uma parceria entre o Grupo Volvo e duas universidades suecas, Chalmers University of Technology e Lund University, que irão recrutar e supervisionar quatro estudantes de doutorado cada uma, que irão realizar suas pesquisas sobre o uso do hidrogênio nos motores de combustão.

“A pesquisa de hidrogênio em Chalmers, principalmente com o centro TechForH2, é um ambiente estimulante. Além disso, colaborativo que será ainda mais enriquecido com a nova bolsa de doutorado”, disse Martin Nilsson Jacobi, presidente e CEO da Chalmers University of Technology. “A tecnologia que está sendo desenvolvida representa novos passos na transição para uma sociedade livre de combustíveis fósseis. A combustão de hidrogênio pode criar robustez e, assim, ajudar-nos a lidar com muitos cenários de transição globais.”

Para saber mais:

Reiter Log é a primeira cliente dos Volvo FM Electric no Brasil

“Nos últimos anos, o financiamento para investigação em motores de combustão interna foi reduzido. Ademais, os centros de competência nacionais desapareceram”, afirma Annika Olsson, professora e reitora da Faculdade de Engenharia da Universidade de Lund. “Mas, para contribuir para a redução da dependência dos combustíveis fósseis. Além disso, ao mesmo tempo, aumentar o crescimento das empresas suecas, precisamos de uma forte educação e investigação sobre futuras tecnologias de propulsão. Sobretudo, estreitar colaboração entre a indústria e o meio acadêmico. O hidrogênio proveniente do excedente de eletricidade é um exemplo de uma área. Onde, juntos, temos a oportunidade de alcançar um salto tecnológico em benefício do clima.”

Uma vez recrutados, os candidatos aprovados se tornarão estudantes de doutorado industrial e realizarão suas pesquisas durante 2024–2029. Os alunos serão contratados pelo Grupo Volvo, que também financiará pesquisas, supervisão e despesas experimentais.

“Nossa bolsa é uma iniciativa não apenas para salvaguardar a educação dos pesquisadores. Além disso, para auxiliar na transição para o transporte sustentável com uma das três tecnologias de propulsão do Grupo Volvo. É importante que a indústria e a academia tenham uma parceria forte. Dessa forma, saudamos mais iniciativas para garantir o conhecimento a longo prazo do motor de combustão interna”, afirma Lars Stenqvist.

Nos siga no LinkedIn!

- Publicidade -
Últimas notícias
você pode gostar:

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui