domingo, maio 19, 2024

Sondagem da CNT mostra confiança do transportador de SP e RS

No início desta semana, a Confederação Nacional do Transporte (CNT) divulgou os resultados mais recentes do Índice CNT de Confiança do Transportador Rodoviário de Cargas. A pesquisa revelou o panorama de dois importantes estados brasileiros: São Paulo e Rio Grande do Sul.

Em São Paulo, o índice de confiança atingiu números baixos. Para as condições atuais da economia e da atividade empresarial, a avaliação ficou em 39,9% em uma escala que vai de 0% a 100%.

No entanto, as expectativas para os próximos seis meses em relação à economia brasileira e à atividade das empresas no estado mostraram um desempenho ligeiramente melhor, com um índice de 54,8%.

No que diz respeito ao cenário atual, os transportadores do estado apontaram vários fatores que contribuíram para a baixa confiança, incluindo taxas de juros elevadas, restrições de acesso a crédito, incertezas quanto à política de preços dos combustíveis e a falta de incentivos para as micro e pequenas empresas.

Leia também:

Fetranslog 2023: a maior feira de logística do Sul do Brasil

A pesquisa em São Paulo coletou dados de 324 empresas, que variam em tamanho, desde microempresas com até nove empregados até grandes empresas com cem ou mais empregados. A coleta de informações foi realizada por meio de questionários eletrônicos, com o apoio da Fetcesp (Federação das Empresas de Transportes de Cargas do Estado de São Paulo).

Rio Grande do Sul

O cenário no Rio Grande do Sul também é motivo de preocupação, pois a pesquisa está na terceira rodada de resultados. Nesta última edição, observou-se uma redução na confiança dos transportadores em relação ao cenário econômico e à atividade empresarial, em comparação com os índices das primeiras duas rodadas, realizadas em março e julho.

O índice geral para o terceiro trimestre no Rio Grande do Sul foi de 45,5%, uma queda de 0,8 ponto percentual em relação ao segundo trimestre. O Índice de Condições Atuais também sofreu uma redução de 0,3 ponto percentual no terceiro trimestre em comparação ao trimestre anterior, ficando em 36,5%.

Leia também:

Filme Carga Máxima: Corridas, Caminhões e Noma em muita Ação

As expectativas dos transportadores gaúchos para os próximos seis meses em relação à economia brasileira. Sobretudo, na atividade empresarial também diminuíram, com uma queda de 1,1 ponto percentual. No terceiro trimestre, ademais, o índice ficou em 50,0%, contra 51,1% no trimestre anterior.

Os transportadores no Rio Grande do Sul apontaram fatores semelhantes aos de São Paulo. Entre eles, razões para essa diminuição na confiança, incluindo acesso limitado a crédito, altas taxas de juros e incertezas em relação à política de preços dos combustíveis.

Leia também:

Mercado: em 10 anos, a DAF Brasil já é quase do tamanho da Scania Brasil com 66 anos

A pesquisa contou com a participação de 223 representantes de empresas de transporte de cargas no Rio Grande do Sul. A Sondagem teve o apoio da Fetransul (Federação das Empresas de Logística e Transporte de Cargas no Rio Grande do Sul).

As informações fornecidas pelos transportadores em ambos os estados, por fim, são confidenciais. Elas servem como indicadores importantes para as ações de defesa de interesses do setor e para o planejamento tanto das empresas quanto da Confederação. Além disso, a confiança do setor de transportes é impactada pela política. Além disso, pela conjuntura econômica, tornando esses índices fundamentais para a tomada de decisões no setor.

Nos siga no LinkedIn!

- Publicidade -
Últimas notícias
você pode gostar:

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui