sábado, maio 25, 2024

Scania vai promover cadeias de valor sustentáveis durante a presença dela na COP28

A busca por um sistema de transportes mais sustentável torna-se uma missão conjunta na COP28, na qual a Scania, empresa do TRATON Group, busca inspirar uma transição rápida e coordenada. No centro da estratégia está o apelo aos compradores de transportes para que exerçam sua influência e utilizem os decisores políticos como catalisadores de mudança, nas palavras de um comunicado público da empresa sueca.

A COP28, agendada para a primeira semana de dezembro no Dubai, é a edição de 2023 da conferência anual da ONU sobre mudanças climáticas, reunindo aproximadamente 80.000 representantes de empresas, governos, ciência e sociedade civil.

Leia também:

Noma do Brasil recebe Certificado de Energia Renovável 2023 Eco Ludfor

Este ano, a COP concentra-se no balanço global, avaliando o progresso coletivo em direção ao Acordo de Paris e delineando áreas que necessitam de mais esforços. As negociações climáticas destacarão a atualização e ampliação dos objetivos dos planos de ação nacionais.

“Estaremos presentes na COP28 para afirmar que a tecnologia para transporte sustentável está pronta para ser ampliada. Para alcançar seu pleno potencial, toda a cadeia de valor deve se unir na mesma direção. A Scania conta com parceiros visionários e ações coordenadas, especialmente dos decisores políticos”, destaca Emilia Käck, gestora de Assuntos Públicos e líder do projeto de participação da Scania na COP28.

Leia mais sobre educação:

Fabet-SP abre inscrições para 1ª edição do curso Gestão em Segurança de Transporte de 2024

A Scania está comprometida em usar seu poder de compra para impulsionar a sustentabilidade. Antes do evento, a empresa anunciou a conversão de suas metas de descarbonização da cadeia de abastecimento em requisitos de compra. Até 2030, todas as aquisições de baterias, aço, alumínio e ferro fundido para produção europeia deverão ser “verdes”.

Durante a COP28, a Scania motivará os compradores de transportes a adotarem medidas semelhantes em suas cadeias de abastecimento.

“A demanda por soluções sustentáveis entre os compradores de transportes está crescendo, mas ainda não está alinhada com o necessário para uma transição alinhada com o Acordo de Paris. A implementação abrangente das metas de descarbonização e dos requisitos de aquisição teria um impacto significativo, especialmente se combinada com ações políticas que aumentem a rentabilidade do transporte com emissões zero e garantam facilitadores como energia verde e infraestrutura de carregamento”, enfatiza Evalena Falck, diretora de Contas Estratégicas.

Em Dubai, a Scania será representada por Emilia Käck, Evalena Falck e Per Norgren, gerente de Descarbonização da Cadeia de Fornecimento. Além disso, a Scania Middle East organizará um evento paralelo. Ademais, uma conferência de parceiros, onde distribuidores discutirão soluções de transporte sustentáveis e explorarão a área aberta da conferência COP.

Saiba mais:

BorgWarner impulsiona produção de sistemas elétricos e turbocompressores

A Scania também conduzirá dois seminários, abordando temas cruciais:

  1. Como alcançar uma cadeia de valor descarbonizada e resiliente?
  2. Como podemos fazer com que os compradores de transportes escolham transportes sustentáveis?

Os quatro pontos críticos anunciados pela Scania constituem aproximadamente 80% das emissões de carbono provenientes dos materiais de produção. Além disso, a definição “verde” da Scania exige a eliminação das principais fontes de emissões através de novas tecnologias, eletricidade verde e/ou material reciclado.

A Scania destaca, por fim, a energia verde na produção de baterias e a substituição do carvão por hidrogênio verde na produção de aços planos. Essas iniciativas reforçam o compromisso da Scania, sobretudo, em liderar a transformação para um futuro de transporte mais sustentável e ecoeficiente.

Nos siga no LinkedIn!

Marcos Villela Hochreiter
Marcos Villela Hochreiterhttps://www.frotanews.com.br
Sou jornalista no setor da mobilidade desde 1988, com atuações em jornais, nas áreas de comunicação da Fiat e da TV Globo, como editor da revista Transporte Mundial entre 2002 e maio de 2023, e com experiência em cobertura na área de transporte no Brasil e em cerca de 30 países. Representante do Brasil como membro associado do ITOY (International Truck of the Year), para troca de experiências e conteúdos jornalísticos. Mais, recente começou como colaborador do corpo docente na Fabet (entidade educacional sem fins lucrativos).
- Publicidade -
Últimas notícias
você pode gostar:

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui