domingo, maio 19, 2024

Mercedes-Benz Atego: celebrando 25 anos de no transporte de distribuição

No ano de 1998, a Daimler-Benz AG, conhecida na época como tal, apresentou ao mundo o Mercedes-Benz Atego no RAI International Commercial Vehicle Show, em Amsterdã. Hoje, celebra o 25º aniversário deste ícone dos caminhões de distribuição, que desde então molda o cenário automotivo com sua inovação.

O Atego foi lançado com uma proposta ousada: oferecer um novo padrão de rentabilidade e atender às diversas necessidades do segmento de caminhões leves e médios. Com uma massa bruta admissível entre 6,5 t e 15 t, o Atego contava inicialmente com 25 modelos básicos, seis categorias de potência e quatro variantes de cabine. Os motores diesel em linha, de quatro e seis cilindros, proporcionavam uma potência de 122 a 279 cv, atendendo a uma ampla gama de aplicações, sobretudo, vocacionais.

Leia também:

Fetranslog 2023: a feira que mostrou as novidades do transporte e logística

Desde o início, a Mercedes-Benz visava maximizar a disponibilidade e reduzir os custos operacionais. Com uma quilometragem estendida para 600.000 km e intervalos de manutenção ampliados, o Atego estabeleceu um novo padrão de eficiência.

O design inovador da cabine considerou o conforto e a conveniência dos motoristas, que entram e saem do veículo várias vezes ao dia durante a distribuição de mercadorias. Com quatro variantes de cabine, incluindo opções compactas, para transporte leve de longa distância, o Atego atendia aos diversos requisitos do setor.

Mercedes-Benz Atego
Mercedes-Benz Atego 1317 K de 1998

Em 1998, apenas seis meses após o lançamento, a Daimler-Benz apresentou o “Heavy-Duty Atego” na IAA Commercial Vehicles, ampliando ainda mais as capacidades do veículo. Com um quadro mais alto e motor mais potente, o “Heavy Duty Atego” fechou a lacuna em relação à série de modelos Actros para veículos pesados.

O reconhecimento global veio rapidamente, e o Atego foi laureado como “Caminhão Internacional do Ano 1999”. No entanto, a Mercedes-Benz continuou a investir em melhorias, e em 2004, a primeira remodelação trouxe inovações na transmissão, sistemas de segurança e a introdução da tecnologia BlueTec SCR para atender às normas de emissões Euro 4 e 5.

Leia mais:

Fabet-SP abre inscrições para 1ª edição do curso Gestão em Segurança de Transporte de 2024

O verdadeiro marco na história do Atego ocorreu em 2010 com o lançamento do modelo BlueTEC Hybrid 1222L. Este foi o primeiro caminhão de produção em série com tração híbrida paralela diesel-elétrica. Este veículo inovador, além de ser homologado pela UE, reduziu o consumo de combustível em até 20%, recebendo o prestigioso Prêmio Alemão de Sustentabilidade em 2010.

Em 2013, a segunda geração do Atego foi lançada, incorporando motores altamente eficientes conforme a norma Euro 6. A redução média de cinco por cento no consumo, combinada com melhorias na suspensão da cabine, destacou novamente o compromisso da Mercedes-Benz com a inovação.

Em 2019, a Mercedes-Benz introduziu o serviço Mercedes-Benz Uptime no Atego. A fim de proporcionar informações em tempo real sobre o estado do veículo, reduzindo paradas não planejadas e otimizando os requisitos de manutenção.

À medida que celebramos os 25 anos do Mercedes-Benz Atego, olhamos para o futuro com entusiasmo. Em abril de 2024, o Atego será equipado com os mais recentes sistemas de assistência à segurança. Sobretudo, com o Active Brake Assist 6 e o Active Sideguard Assist 2. Dessa forma, a Daimler Truck reafirma o compromisso contínuo com a segurança e a inovação.

Atego brasileiro

No Brasil, a linha Atego é simplificada em relação a europeia por questões de custos de produção. Além disso, porque temos uma legislação menos exigente nos quesitos segurança. No entanto, o Atego brasileiro reforça-se mais em termos de resistência a buracos e poeira devido ao pavimento mais precário que possui.

A gama Atego “Made in Brazil” começa com o médio Atego 1419. Entre as mais de 10 variantes, chega até o semipesado Atego 3330 8×4. Este é, por fim, para aplicações vocacionais, como betoneira e caçamba, com PBT técnico de 32.700 kg e CMT (Capacidade Máxima de Tração) de 45.000 kg.

Marcos Villela Hochreiter
Marcos Villela Hochreiterhttps://www.frotanews.com.br
Sou jornalista no setor da mobilidade desde 1988, com atuações em jornais, nas áreas de comunicação da Fiat e da TV Globo, como editor da revista Transporte Mundial entre 2002 e maio de 2023, e com experiência em cobertura na área de transporte no Brasil e em cerca de 30 países. Representante do Brasil como membro associado do ITOY (International Truck of the Year), para troca de experiências e conteúdos jornalísticos. Mais, recente começou como colaborador do corpo docente na Fabet (entidade educacional sem fins lucrativos).
- Publicidade -
Últimas notícias
você pode gostar:

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui