domingo, maio 19, 2024

Veículo diesel parado: saiba como evitar problemas

Seu veículo diesel parado por uns dias por gerar dores de cabeça e danos na conta bancária. Lógico que ninguém quer a sua ferramenta. Mas, por qualquer razão, como os caminhões usados e seminovos em estoque e a espera de um comprador, o veículo ficou ou precisa ficar parado, não importa! As dicas deste artigo serão úteis para cuidar do seu patrimônio para os dias parados e para quando voltar ao trabalho.

Dê uma volta com o veículo em um percurso razoável, acima de 15 km ou 20 minutos, a cada período de 15 dias. Essa prática é essencial para manter todas as peças móveis do seu veículo bem lubrificadas, incluindo as internas do motor, caixa de marchas, transmissões, rodas e outros componentes. Além disso, ela contribui para movimentar todo o sistema de arrefecimento, garantindo o bom funcionamento do veículo e prolongando sua vida útil.

Óleo lubrificante

Após uma semana de inatividade, o óleo lubrificante escorre quase completamente para a parte inferior do motor, conhecida como cárter, o que pode resultar em um considerável desgaste das peças metálicas no momento da partida. Portanto, é crucial utilizar o óleo recomendado pelo fabricante, uma vez que ele possui uma melhor aderência às paredes e componentes do motor. Além disso, ao dar partida, aguarde um curto período antes de retirar o veículo da imobilidade. Essas medidas ajudam a preservar o motor e a garantir seu desempenho a longo prazo.

Os pneus também se beneficiarão com essas medidas. Neste caso, é aconselhável mudar a posição do seu veículo a cada dez dias para evitar que a cinta metálica, parte integrante da estrutura do pneu, sofra deformações permanentes. Tais deformações podem comprometer a segurança, resultando em desbalanceamento da roda (manifestado por trepidação do volante em altas velocidades) e produção de ruídos indesejados. Embora os pneus possam ser calibrados com uma pressão 20% acima do valor recomendado pelo manual durante o período de inatividade, é fundamental recalibrá-los para o nível recomendado quando retomar a rodagem.

Combustível diesel

Mantenha o tanque de combustível cheio para reduzir a formação de condensação de água no tanque, que pode contaminar o diesel e causar corrosão. Além disso, o diesel pode oxidar com o tempo e formar borras que entopem os filtros e injetores.

As regulamentações que entraram em vigor desde 2012 (todas as faces do Proconve desde a L6/P7) alteraram a composição do diesel para reduzir a emissão de poluentes, conhecido como S10. Essas alterações, entretanto, incluem o aumento do percentual (ou proporção) do biodiesel e a redução do teor de enxofre. Essas mudanças propiciam a degradação do diesel e a proliferação de microrganismos quando o combustível fica em condições estáticas por mais de 90 dias devido ao biodiesel no veículo diesel parado.

A alteração na propriedade do diesel pode afetar todo o sistema de combustível, principalmente os bicos injetores. As falhas mais comuns que ocorrem são: água contaminando o diesel, corrosão, oxidação e o aparecimento de borras. Bactérias, fungos e leveduras que se alimentam deste combustível são responsáveis pela formação dessas borras.

Veiculo parado diesel
A Petrobras desenvolveu um novo biodiesel chamado de R5 que gera menos problemas. Ele está sendo usado pela Volvo em sua fábrica, mas ainda não está liberado para postos de combustível

Saiba mais:

VOLVO ADOTA O DIESEL R5, COMBUSTÍVEL MENOS POLUENTE DO QUE O BIODIESEL

As bactérias no biodiesel

Para evitar possíveis falhas no sistema de injeção de combustível de motores a diesel (aplicável a todos os tipos de motores a diesel de qualquer fabricante) devido à imprevisibilidade do início de operação do veículo, recomendamos aplicar um bactericida na proporção de 0,1% do volume de diesel contido no tanque de combustível. Isso se deve à degradação natural do combustível em um período de até 90 dias. Se o veículo permanecer inoperante, é necessário substituir completamente o combustível a cada 90 dias e reaplicar o aditivo bactericida na proporção indicada pelo fabricante.

Se houver a necessidade de reabastecer veículos em sua empresa, é importante aplicar novamente o aditivo bactericida na proporção especificada pelo fabricante ou na carta mencionada anteriormente. Os fabricantes sempre recomendam o uso de combustível Diesel – S10 de alta qualidade.

Após aplicar o fluido, você deve deixar o motor ligado por cerca de 3 minutos para assegurar a mistura no diesel e a completa lubrificação do sistema de combustível. Recomendamos repetir esse procedimento a cada 60.000 km ou a cada 6 meses, o que ocorrer primeiro. No entanto, é importante observar que essa recomendação pode variar conforme o fabricante do motor, portanto, é crucial seguir as instruções estipuladas no manual do proprietário.

Aqui estão algumas dicas adicionais:

– Se o veículo ficar parado por um período prolongado, o proprietário deve tomar medidas preventivas. Primeiramente, é recomendável realizar uma limpeza completa do veículo, incluindo a higienização do sistema de climatização, que implica a substituição do filtro de cabine.

– Se possível, proteja o veículo da umidade e do sol. Caso haja disponibilidade, armazene o veículo em um local coberto, seco e bem ventilado. Se for um veículo comercial compacto, utilize uma capa impermeável para proteger a pintura e as partes metálicas da corrosão.

– Se o veículo estiver estacionado ao sol, lembre-se de remover todos os objetos do interior e abaixar o para-sol. Da mesma forma, é importante que você abra as entradas de ventilação para manter o interior ventilado e em boas condições.

– Mantenha as hastes dos limpadores do para-brisa levantadas, pois as palhetas em contato contínuo com o vidro podem ressecar e deformar, perdendo sua eficácia de limpeza.

– A bateria do veículo diesel parado é o componente que mais sofre com a falta de uso. Isso porque os veículos continuam consumindo energia mesmo quando estão parados. Entre eles, sistemas de segurança (alarme), LEDs de alerta e sistemas eletrônicos, que permanecem em modo de espera. Verifique a tensão da bateria a cada três semanas e, se estiver baixa, carregue-a conforme as instruções do manual do proprietário.

– Para a manutenção de itens mais complexos, profissionais especializados são fundamentais. Nesse sentido, o proprietário pode agendar uma verificação em uma oficina da rede de concessionárias do fabricante.

– Uma última dica: é possível aliviar o peso da van sobre a suspensão utilizando cavaletes. Para mais dicas como esta, nos siga no LinkedIn!

Marcos Villela Hochreiter
Marcos Villela Hochreiterhttps://www.frotanews.com.br
Sou jornalista no setor da mobilidade desde 1988, com atuações em jornais, nas áreas de comunicação da Fiat e da TV Globo, como editor da revista Transporte Mundial entre 2002 e maio de 2023, e com experiência em cobertura na área de transporte no Brasil e em cerca de 30 países. Representante do Brasil como membro associado do ITOY (International Truck of the Year), para troca de experiências e conteúdos jornalísticos. Mais, recente começou como colaborador do corpo docente na Fabet (entidade educacional sem fins lucrativos).
- Publicidade -
Últimas notícias
você pode gostar:

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui