domingo, maio 19, 2024

Transporte de cargas cresce, mas enfrenta desafios tributários em 2024

O setor de transporte rodoviário de cargas, responsável por movimentar 65% do volume transportado no Brasil, como ocorre nas maiores economias do mundo, vivencia um momento de crescimento impulsionado pela economia, mas enfrenta incertezas devido a mudanças e desafios tributários. Além do cenário político.

Segundo o Boletim Focus do Banco Central, a projeção para o crescimento da economia brasileira em 2024 subiu de 1,52% para 1,59%. Dados do IBGE apontam que o terceiro trimestre de 2023 teve um aumento de 0,1% em relação ao segundo trimestre, acumulando alta de 3,2%.

Este crescimento beneficiou o transporte rodoviário de cargas, que gerou mais de 100 mil empregos de janeiro a novembro de 2023, segundo a Confederação Nacional dos Transportes (CNT). Este número supera em mais de oito mil vagas o total de empregos gerados no setor em 2022.

Entretanto, a Medida Provisória (MP) nº 1.202/23, publicada na última semana de 2023, trouxe modificações nas normas de recolhimento da contribuição previdenciária das empresas privadas. Isso gerou preocupação no setor, conforme expresso por Adriano Depentor, presidente do Sindicato das Empresas de Transportes de Carga de São Paulo e Região (Setcesp). “Estamos cautelosos devido às incertezas relacionadas ao momento político e às alterações tributárias que podem impactar negativamente as transportadoras”, afirma Depentor.

Leia também:

470 anos de São Paulo: uma cidade movida pelo transporte

O presidente do Setcesp destaca a dificuldade de planejar para 2024 sem clareza sobre a tributação, enfatizando a possibilidade de repasse de custos ao consumidor. A medida provisória já está em vigor, mas seus efeitos só começarão a partir de 1º de abril de 2024, deixando o setor em expectativa quanto às decisões das Casas Legislativas.

Por outro lado, as eleições municipais de 2024 são vistas por Depentor como potencialmente favoráveis à economia local e ao transporte de cargas. “As campanhas estimulam o consumo local e, consequentemente, o transporte de cargas”, explica.

Outro fator positivo para o setor é a Fenatran, principal feira da América Latina no segmento. Em 2022, o evento gerou mais de R$ 9 bilhões em oportunidades de negócios e reuniu expositores de diversos países. “A Fenatran é uma vitrine de negócios, networking e conhecimento. Esperamos grandes tendências para os próximos anos nesta edição”, destaca Adriano.

Nos siga no LinkedIn!

- Publicidade -
Últimas notícias
você pode gostar:

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui