domingo, maio 19, 2024

Lançamento: Ankai apresentam inovação com quatro modelos de ônibus elétricos no Brasil

A Ankai, fabricante de ônibus da China fundada em 1966, lançou no Brasil sua linha de ônibus 100% elétricos, com modelos que variam de 6 a 12 metros de comprimento. Representada pelo Grupo SHC, que também representa a JAC Motors, a Ankai expande suas operações internacionalmente, marcando presença em mais de 100 países.

A empresa apresenta uma gama diversificada de veículos, incluindo ônibus elétricos de dois andares e veículos movidos a gás e hidrogênio. No Brasil, os modelos lançados são: de 6 metros (micro), 8 m (mini), 10 m (midi) e 12 m (urbano), com opções de piso alto e piso baixo para se adaptarem a diferentes cidades e percursos. Ele têm autonomias de 250 km a 350 km, adaptados para diferentes usos urbanos e configurações de cidades.

Ankai
Os ônibus contam com autonomia entre 250 km e 350 km

Durante um evento em São Paulo, o Frota News, com jornalistas de outras publicações, teve a oportunidade de experimentar a viagem em um dos novos ônibus, destacando a ausência de ruídos e vibrações típicos dos motores a combustão, além de um desempenho suave e constante.

Leia a nossa Newsletter 39

Newsletter Frota News: Edição 39 com os principais temas de março

A introdução dos ônibus elétricos da Ankai acrescenta uma nova opção ao mercado brasileiro, que já conta com outros fabricantes como Mercedes-Benz, Volvo Buses e Volkswagen, entre outros. Sergio Habib, presidente do Grupo SHC, enfatiza que a aposta nos elétricos não é meramente estratégica, mas certamente um passo em direção a um transporte mais limpo e sustentável.

Entretanto, a substituição da frota existente por veículos elétricos enfrenta desafios significativos, principalmente devido ao alto custo dos novos ônibus e à necessidade de investimento em infraestrutura de recarga. Os ônibus elétricos são substancialmente mais caros do que os modelos a diesel e a gás, com preços variando entre R$ 2 milhões e R$ 3,5 milhões, portanto, o triplo do similar com motor a combustão.

Ankai
Painel do OE-12, sendo similar nos demais modelos

Algumas cidades, como São Paulo, estabeleceram metas ambiciosas para tornar quase 19% de sua frota de ônibus elétrica, mas até o momento, apenas uma fração dessa meta foi alcançada. Isso evidencia as dificuldades financeiras e de produção enfrentadas.

Os ônibus da Ankai não só atendem a todas as normas de segurança vigentes. Por certo, também introduzem tecnologias avançadas no mercado brasileiro, como sistemas de assistência ao condutor e proteção de baterias. Além disso, a estrutura monobloco dos veículos oferece vantagens em termos de peso e desempenho, uma abordagem comum na Europa, mas ainda nova no Brasil.

A capacidade técnica dos ônibus inclui baterias de íon-lítio e motores elétricos de alto desempenho. Eles são capazes de fornecer uma experiência de condução eficiente e ambientalmente responsável.

Torque e potência

Equipados com bateria de íon-lítio, da CATL, os modelos da Ankai possuem a seguinte característica técnica no Brasil. Eles sempre equipam com motores elétricos da Dana, de acionamento síncrono de ímã permanente.

  • OE-6 – 190 kW (258 cv) de potência e 1.900 Nm (193,9 kgfm) de torque máximo. A capacidade máxima de carga da bateria pode variar de 141 kWh a 210 kWh.
  • OE-8 – 200 kW (272 cv) de potência e 2.500 Nm (255,1 kgfm) de torque máximo. A capacidade máxima de carga da bateria pode variar de 210,6 kWh a 282 kWh.
  • OE-10 – 245 kW (333 cv) de potência e 3.329 Nm (339,7 kgfm) de torque máximo. A capacidade máxima de carga da bateria pode variar de 281,9 kWh a 338,4 kWh.
  • OE-12 – 245 kW (333 cv) de potência e 3.329 Nm (339,7 kgfm) de torque máximo. A capacidade máxima de carga da bateria pode variar de 300,8 kWh a 422,9 kWh.

A reportagem completa estará disponível na revista digital edição 40 da Newsletter Frota News.

Nos siga no LinkedIn!

Marcos Villela Hochreiter
Marcos Villela Hochreiterhttps://www.frotanews.com.br
Sou jornalista no setor da mobilidade desde 1988, com atuações em jornais, nas áreas de comunicação da Fiat e da TV Globo, como editor da revista Transporte Mundial entre 2002 e maio de 2023, e com experiência em cobertura na área de transporte no Brasil e em cerca de 30 países. Representante do Brasil como membro associado do ITOY (International Truck of the Year), para troca de experiências e conteúdos jornalísticos. Mais, recente começou como colaborador do corpo docente na Fabet (entidade educacional sem fins lucrativos).
- Publicidade -
Últimas notícias
você pode gostar:

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui