quarta-feira, maio 22, 2024

Gestão em segurança no transporte rodoviário x aéreo

Os gestores de frotas de caminhões devem aprender muito com os de aviões comerciais sobre gestão em segurança no transporte. A aviação comercial nem sempre foi segura como é hoje. Estatisticamente, o transporte aéreo comercial de passageiros (não estamos falando o de voos privados) é considerado o mais seguro na gestão de frotas entre os diferentes modais.

Para chegar ao nível atual de segurança, houve uma evolução a partir dos erros e o compartilhamento dos aprendizados com os erros. No entanto, um dos fatores para evolução da segurança, foi o compartilhamento dos aprendizados com os erros entre as companhias aéreas, sem se preocuparem sobre a transferência de conhecimento para os concorrentes, pois a segurança era interesse de todos.

Isso, porque, o que estava em jogo não era somente o nome da empresa aérea A ou B, mas a imagem do setor na totalidade.

Treinamento em transporte rodoviário

No setor de transporte rodoviário de cargas e passageiros, o compartilhamento dos aprendizados com os erros segue em percentual muito pequeno, tanto que não temos uma redução de acidentes significativa.

Lógico que há complexidades diferentes entre os modais. Porém, há muito o que podemos aprender com a aviação comercial, além do compartilhamento dos aprendizados com os erros. A ideia neste artigo não é citar todos, mas um muito importante: treinamentos.

Para chegar a fazer parte da tripulação de um Boeing, Airbus ou Embraer, o candidato, principalmente o piloto, precisa passar por muitas etapas de estudos teóricos e práticos. E depois, por um treinamento adicional para o modelo de avião no qual trabalhará. O mesmo ocorre com mecânicos etc.

Para o setor de transporte rodoviário, o que podemos aprender com avião comercial: investimento em treinamento e o compartilhamento dos aprendizados com os erros.

Aprendizados

Isso aprendi durante o curso Gestão em Segurança no Transporte, na Fabet São Paulo. O curso tem uma grande abrangência de temas e professores com doutorado ou PhD na área atua, mestrado ou alta especialização e experiência no tema de cada aula. São diversos temas relacionados à segurança viária e eficiência da frota. Isso faz deste curso único no Brasil.

Os alunos, na maioria, são profissionais de SSMA de grandes transportadoras e embarcadores, além de donos de transportadoras. Todos já com experiência, o que permite promover debates de alto nível e o compartilhamento de experiências, elevando o nível do debate.

Além do curso, eu já fiz parte da banca de jurado de diversos seminários de conclusão do curso, quando cada aluno faz apresentação de um trabalho final que tem o objetivo de apresentar o aprendizado durante o curso e como aplica o conhecimento na realidade, com objetivo de gerar mais debates para o compartilhamento de aprendizados.

No entanto, a quantidade de transportadoras e embarcadores que investem um curso deste nível, ainda é pequena. Isso, em relação à quantidade de empresas de transporte que existem no Brasil, e quantidade de acidentes rodoviários, entre outros.

Do básico ao avançado

Ademais, a Fabet possui diversos outros, desde formação básica a avançada de condutores e condutoras profissionais, média gerência e alta direção. Para a redução de acidentes e melhorias no transporte, não existe milagre. Existe apenas um caminho: investimento em educação para o conhecimento, inclusive, para saber utilizar, eficientemente, essas tecnologias que estão chegando em uma velocidade relâmpago.

Conheça alguns dos cursos que estão com inscrição abertas na Fabet São Paulo:

segurança em transporte
O curso está com últimas vagas e as inscrições abertas até o dia 15 de janeiro
segurança em transporte
O padrinho de motoristas é uma oportunidade que os motoristas mais experiências ajudam os novos na condução segurança e econômica dentro de uma transportadora

 

Marcos Villela Hochreiter
Marcos Villela Hochreiterhttps://www.frotanews.com.br
Sou jornalista no setor da mobilidade desde 1988, com atuações em jornais, nas áreas de comunicação da Fiat e da TV Globo, como editor da revista Transporte Mundial entre 2002 e maio de 2023, e com experiência em cobertura na área de transporte no Brasil e em cerca de 30 países. Representante do Brasil como membro associado do ITOY (International Truck of the Year), para troca de experiências e conteúdos jornalísticos. Mais, recente começou como colaborador do corpo docente na Fabet (entidade educacional sem fins lucrativos).
- Publicidade -
Últimas notícias
você pode gostar:

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui