sábado, maio 25, 2024

Estudo mostra horários, idades e tipos de veículos nos acidentes de trânsito

Um estudo recente do Instituto Paulista do Transporte de Carga (IPTC) trouxe à tona informações cruciais sobre os acidentes de trânsito no transporte rodoviário de cargas, apontando um padrão significativo nos horários e dias da semana em que essas ocorrências são mais frequentes.

De acordo com o relatório, a maioria dos acidentes ocorre durante o dia, representando 58,4% dos casos, especialmente entre as 6h e as 18h. Surpreendentemente, o período da noite, que pode ser considerado mais perigoso devido à redução da visibilidade e maior probabilidade de fadiga entre os motoristas, corresponde a 31% das ocorrências.

Raquel Serini, economista e coordenadora de Projetos do IPTC, salientou que o risco de acidentes é ampliado durante a noite devido a fatores como redução de visibilidade e maior probabilidade de fadiga entre os motoristas. “Isso se deve ao aumento do fluxo de veículos nas estradas nesse período. No entanto, é importante destacar que os acidentes noturnos tendem a ser mais graves, já que há menos visibilidade e maior probabilidade de o motorista estar cansado, por exemplo. Durante a madrugada, por exemplo, é comum encontrar menos veículos na estrada, mas também há maior risco de cansaço e sonolência por parte dos motoristas,” ressaltou a economista.

Leia também:

BYD vai produzir nove modelos de caminhões elétricos em Camaçari (BA)

Tipos de veículos e idade dos condutores

Analisando a distribuição dos acidentes ao longo da semana, observa-se que os acidentes estão relativamente equilibrados nos diferentes dias. No entanto, sextas-feiras e sábados apresentam uma proporção um pouco maior de ocorrências, representando 16,5% e 14,6% dos casos, sugerindo que não há um dia específico que se destaque como o mais propenso a acidentes.

Em termos de tipos de veículos envolvidos em acidentes, 37% dos casos envolvem caminhões tratores, com a maioria das ocorrências ocorrendo nas BR-116 e BR-101. A faixa etária dos envolvidos nos acidentes varia entre 36 e 50 anos, com 4% dos casos resultando em óbito e 25% em alguma lesão.

Diversos fatores foram apontados como causas de acidentes, incluindo a reação tardia ou ineficiente, falhas mecânicas e infrações de trânsito por parte dos motoristas. Problemas mecânicos no veículo e condições climáticas adversas também foram mencionados como causas acidentais de veículos.

Raquel Serini, do IPTC, destacou que investimentos em infraestrutura, fiscalização e conscientização dos motoristas e das empresas de transporte poderiam evitar muitos acidentes. “As estatísticas revelam uma quantidade expressiva de ocorrências, com impactos significativos em termos de prejuízos materiais, lesões e perdas de vidas. É importante estar atento às características de cada fase do dia e adotar medidas preventivas adequadas. Todos os dias da semana devemos manter constantemente a atenção e as medidas de segurança,” enfatizou Serini.

Sobre o IPTC

O Instituto Paulista do Transporte de Cargas (IPTC) realiza estudos e análises voltados para o transporte rodoviário de cargas em todo o país. Além disso, utiliza ferramentas que auxiliam colaboradores e contratantes do segmento. Além disso, faz a captação de dados para apresentar a evolução do setor em uma perspectiva geral, com embasamento técnico. Ademais, é uma importante fonte para conhecer e aprimorar os serviços do transporte rodoviário de cargas em suas diversas vertentes.

Por fim, para maior segurança, conheça os cursos oferecidos pela Fabet-SP:

Capacitação de Motorista Padrinho
Curso de Capacitação de Motorista Padrinho na Fabet-SP
- Publicidade -
Últimas notícias
você pode gostar:

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui