segunda-feira, junho 24, 2024

A IA e os perigos da robotização

Neste artigo de Benedicto Ismael Camargo Dutra, descubra por que é crucial fugir da robotização e manter viva a intuição e o potencial humano em um mundo cada vez mais automatizado. O autor argumenta que, para alcançar um verdadeiro progresso sustentável e a paz entre os povos, devemos estimular nossas capacidades mentais e intuitivas, evitando o comodismo e a mecanização das atividades diárias. Confira:

É importante fugir da robotização, pois ela reduz a amplitude do ser humano

Por Benedicto Ismael Camargo Dutra*

Na verdade, é obrigação de cada um pôr em movimento todo o seu potencial: corpo, cérebro, intuição, raciocínio lúcido. Mas lamentavelmente muitos se deixam estagnar num ponto qualquer pela falta do movimento contínuo. As mulheres são mais intuitivas, mas todos têm de se esforçar para ouvir o que a intuição diz, dando força a essa capacitação como meio para sempre evoluírem.

Atualmente, grande parte das atividades estão sendo esquematizadas e programadas nos mínimos detalhes. De tal forma que não há necessidade de muito desembaraço mental para executar as operações. Todavia, o desempenho deve ser com a atenção voltada para aquilo que a pessoa estiver fazendo, devendo ter interesse em saber como as coisas funcionam. Seja qual for a tarefa é preciso executá-la com foco.

Nas empresas o alto nível pode dizer: “aqui quem manda somos nós, não aceitamos quaisquer intervenções que não estejam de acordo com os nossos protocolos”. Se isso favorece a produtividade, por outro lado cerceia a participação da vontade e com certeza haverá a infelicidade geral e faltará vigor à organização, porque o pessoal se acomodou e aprendeu a só fazer o que lhe mandam sem adicionar vida naquilo que faz.

Leia também:

Série Especial Night Edition marca os 5 anos da Geração Titanium de implementos rodoviários da Noma do Brasil

Antes tínhamos de fazer etapa por etapa necessitando, para isso, de amplo conhecimento. Hoje o computador permite que o programa execute tudo, bastando fornecer os dados, e assim o ser humano torna-se mero complemento da máquina. Para se contrapor a isso, os indivíduos devem buscar atividades que movimentem a sua mente e a sua intuição. Há jogos, filmes, livros os quais não podem ser esquecidos.

Com o advento da Inteligência Artificial é fundamental ler, examinar e refletir para não deixar que a intuição se apague, permitindo com isso ampliar o saber de forma a não cair em nefasto comodismo. E ainda permanecer atento ao próprio querer que parte do eu interior, estabelecendo propósitos, movimentando-se, observando a natureza, sua beleza e seu funcionamento. Os sistemas educacionais têm de atentar para isso introduzindo as adequadas mudanças, pois é imperioso colocar um basta na robotização do indivíduo que deve atuar vivamente, com todo o seu ser, em tudo que se dispuser a fazer, pois sem isso jamais será verdadeiro ser humano.

A humanidade têm de concentrar esforços na melhora das condições gerais de vida e ao mesmo tempo na promoção do próprio aprimoramento, pois só assim alcançará, através de uma economia equilibrada, um progresso real sustentável jamais alcançado e, com ele, a paz entre os povos.

*Benedicto Ismael Camargo Dutra, graduado pela Faculdade de Economia e Administração da USP.

Para mais informações sobre Inteligência Artificial clique aqui…

Publique seu texto em nosso site que o Google vai te achar!

Entre para o nosso grupo de notícias no WhatsApp

- Publicidade -

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

Últimas notícias
você pode gostar:

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui