sábado, maio 25, 2024

Roubo e furto de caminhões e cargas diminuem em São Paulo

Em uma notícia que traz um sopro de alívio para a comunidade de transportadores e logística do Estado de São Paulo, o último Boletim Tracker-Fecap aponta uma diminuição significativa nos casos de roubo e furto de caminhões e cargas ao longo de 2023.

Segundo o relatório, houve uma queda de 14% nos furtos e 30% nos roubos, culminando em uma redução média de 27% nas ocorrências comparadas ao ano anterior. Mesmo com a melhoria, os números ainda indicam a ocorrência de mais de 20 crimes relacionados a caminhões e cargas por dia no estado, destacando a persistência do problema.

Erivaldo Costa Vieira, coordenador do Departamento de Pesquisas em Economia do Crime da FECAP, aponta para a eficácia das ações da Secretaria de Segurança Pública de São Paulo (SSP-SP) como um dos fatores contribuintes para a queda nos números.

“Um aumento de 8% no número de operações e 18% na recuperação de veículos mostra o impacto positivo de uma postura mais assertiva na luta contra o crime”.
Para melhor eficiência no transporte:

Curso Presencial: Gestão Estratégica de Transporte – Capacite-se para o Futuro!

Ana Cardoso, diretora de Marketing e Vendas do Grupo Tracker, acredita que a combinação de tecnologia em comunicação e rastreamento, junto a operações robustas de resposta rápida, é fundamental na proteção dos bens transportados.

Na última Intermodal, os caminhões blindados para transporte de carga ganharam mais destaques. A Prosegur, por exemplo, já conta com 1.760 caminhões blindados em sua frota própria.

Para saber mais:

Newsletter Frota News: Edição 39 com os principais temas de março

O estudo também revela uma tendência preocupante com cidades do litoral como São Vicente, Praia Grande e Guarujá entrando na rota dos criminosos. A dispersão geográfica das ocorrências, não apenas em áreas centrais, coloca desafios adicionais às estratégias de prevenção e resposta.

Em São Paulo, bairros mais afastados do centro, como Vila Maria, Vila Leopoldina e São Domingos, lideram o número de eventos. Vale ressaltar que a problemática de segurança nas áreas periféricas. O perfil das cargas visadas reflete uma preferência por itens de alta liquidez e baixo valor individual. Por certo, como alimentos, cigarros e bebidas, que podem ser facilmente revendidos em mercados informais.

Contrariando a percepção de que certos modelos de caminhões seriam mais visados, o relatório indica uma distribuição mais ampla. Assim, com os dez principais modelos somando apenas 23% do total de ocorrências. Esse dado sugere que as medidas de segurança devem ser abrangentes e não focadas em modelos específicos.

O panorama apresentado pelo estudo Tracker-Fecap oferece percepções valiosos para empresas de logística e seguradoras. A necessidade de medidas de segurança extensivas e integradas, que incluam sistemas de rastreamento avançados e treinamento de motoristas, se faz cada vez mais evidente. Ver a utilização de tecnologias de big data e algoritmos preditivos para mapear tendências e alocar recursos como uma melhoria na prevenção de futuras ocorrências.

Apesar dos avanços da redução dos roubos e furtos de caminhões e cargas, certamente, o estudo deixa claro que ainda existe muito trabalho a fazer. A luta contra a criminalidade no setor de transportes, por fim, exige uma abordagem multidisciplinar e cooperativa. Sobretudo, envolvendo tanto o poder público quanto o setor privado.

Nos siga no LinkedIn!

- Publicidade -
Últimas notícias
você pode gostar:

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui