domingo, maio 19, 2024

OS CUSTOS OPERACIONAIS DE CAMINHÕES POR KM RODADO NOS EUA. MAIS BAIXOS DO QUE OS SEUS?

No Brasil, sentimos no bolso a inflação e o impacto dela no custo do transporte. E nos Estados Unidos. A ATRI (American Transportation Research Institute) acaba de divulgar o estudo feito sobre os custos operacionais com caminhões na terra do Tio Sam. 

Os custos operacionais médios dos caminhões atingiram um novo recorde em 2022 pelo segundo ano consecutivo e ultrapassaram US$ 2 por milha pela primeira vez e chegaram a US$ 2,251 por milha.  Fazendo uma conversão direta para o real e milha para km, temos R$ 19,36 por km rodado. O aumento em 2022 em relação a 2021 foi de 21,3%, enquanto a inflação ao consumidor nos EUA foi 6,5%. 

custos operacionais
Perfil dos frotistas que responderam a pesquisa
custos operacionais
Tamanho das frotas

Combustível

Da mesma forma que ocorre no Brasil, o maior custo na operação do transporte rodoviário de carga nos Estados Unidos é o combustível, 53,7% a mais do que em 2021). A ATRI informa que diversos outros custos tiveram aumento de dois dígitos. 

Na figura abaixo, é mostrado a evolução do preço do galão de diesel ao longo dos anos. Vale lembrar que um galão equivale 3,79 litros. O preço do diesel médio do diesel neste mês de junho está em US$ 3,80 o galão. Portanto, o preço do litro em real está próximo de R$ 1,55.

Motoristas

 Os salários dos motoristas aumentaram 15,5%, para US$ 0,724 por milha (cerca de R$ 2,25 por km), refletindo o esforço contínuo da indústria para atrair e reter motoristas. Os benefícios do motorista, no entanto, permaneceram estáveis ​​em 2022. O seguro de caminhões subiu apenas 2% em relação ao ano anterior. 

custos operacionais
Salários e benefícios pagos aos motoristas por tamanho de frotas

Aumento do preço dos caminhões e implementos

Os preços dos caminhões e implemento rodoviário aumentaram 18,6% nos EUA, segundo o instituto. O grande aumento foi devido aos problemas da cadeia de suprimento devido à pandemia e a geopolítica internacional. O reajuste de 18,6% fez o custo de aquisição aumentar para US$ 0,331 por milha, cerca de R$ 1,61 por km. 

Na pesquisa do ATRI, a idade média dos cavalos mecânicos nos EUA caiu 5,7 anos em 2021 para 4,7 anos. Ou seja, mesmo com o aumento dos preços, houve uma renovação de frotas lá.

Manutenção e demais custos

A inflação na manutenção dos caminhões foi de 12% em 2022, também devido à escassez de peças e aumento de custos com mão-de-obra. Com isso, o custo por milha rodada foi de US$ 0,196, equivalente a R$ 0,67 por km. 

Em um esforço para manter os custos baixos, as transportadoras buscaram internamente melhorias na eficiência operacional. A redução da rotatividade de motoristas, tempos de retenção e utilização de equipamentos mais modernos melhoraram em quase todos os tamanhos de frota e setores durante 2022. 

A velocidade média calculada para 2022 foi de 40,33 mph (64,9 km/h). Houve um aumento de 0,09 mph (0,145 km/h) do que em 2021. Certamente, as velocidades médias continuam mais altas do que a velocidade média antes pandemia. Isso ocorre devido a ter menos veículos nas rodovias. 

No Brasil, os caminhões rodoviários rodam entre 100.000 e 120.000 km por ano. Aliás, nos EUA, houve uma queda da média de rodagem anual, caindo de 128.750 km em 2021 para 126.882 km em 2022. 

Energia renovável

Ademais, a participação de caminhões movidos por energias limpas ainda é muito baixa nos Estados Unidos. Assim, no quadro abaixo, há o índice de caminhões a gás, elétricos e a hidrogênio:

custos operacionais

O relatório completo, de 57 páginas e inglês, pode ser baixado em PDF neste link.

Marcos Villela Hochreiter
Marcos Villela Hochreiterhttps://www.frotanews.com.br
Sou jornalista no setor da mobilidade desde 1988, com atuações em jornais, nas áreas de comunicação da Fiat e da TV Globo, como editor da revista Transporte Mundial entre 2002 e maio de 2023, e com experiência em cobertura na área de transporte no Brasil e em cerca de 30 países. Representante do Brasil como membro associado do ITOY (International Truck of the Year), para troca de experiências e conteúdos jornalísticos. Mais, recente começou como colaborador do corpo docente na Fabet (entidade educacional sem fins lucrativos).
- Publicidade -
Últimas notícias
você pode gostar:

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui